image1 image1 image1 image1 image1 image1
Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
politec2aNuma noite memorável a distribuidora Art Du Vin promoveu uma mega-degustação dos vinhos da Vinissimo - mais uma importadora a aportar no DF. O local do evento foi a Politec, de Brasília, na belíssima cobertura do edifício-sede da empresa. O convidado para proferir a Palestra-apresentação ao seleto grupo de participantes foi o mestre Arthur Azevedo, ex-presidente da ABS-SP. Os vinhos trazidos pelas duas lojas foram esplendidamente mostrados pelo Dr.Arthur, que conduziu maestralmente a degustação. Vejam o show de ampolas servidas na noite de 5a.feira (15). Este evento veio em boa hora, pois de acordo com os últimos dados (Ibravin), Brasília já figura como a segunda maior consumidora de vinhos do País, superando o Rio no total de vendas.

Dog Point 2008 (branco)  Um belo exemplar de Sauvignon Blanc da Nova Zelândia. Aroma de frutas maduras e leve insinuação de café e carvalho. Cor amarelo palha e tons esverdeados. Na boca uma surpresa, pois apesar do estágio 18 meses em madeira, não transpassa ao vinho, que prima pela ótima harmonia e estrutura. Final longo e um frisante quase imperceptível. 90 pts-DCV.
Gewurztraminer Cuvée Réserve
08, Martin Schaetzel (branco) Da Alsácia (França), este branco tem uma produção esmerada, com ótima acidez. Cor amarelo palha. Uma leve doçura remonta aos exemplares deste tipo. Por fim, um amargor soava na lembrança. Bom com aperitivo ou queijos, não mais que isso. Não é dos melhores representantes desta casta, mas uma ampola digna de registro pela tipicidade. 86 pts-DCV.
Beaune Toussaints 1erCru 2006,
D.A.Morot Um borgonha 100% pinot noir de cor rubi e reflexos púrpura. Aroma de compotas! Ainda muito tânico denotando mais tempo de amadurecimento. Forte adstringência. Sofisticado e muito elegante, com promessa de ótimo futuro. Já hoje combina bem com costeleta de cordeiro. 87 pts-DCV.
Lafken Garage 2007, Maipo-Chile
Um blend de fabricação diferente no Alto Maipo, do Chile, com 50% carménère, 35% cab.sauv., 11% syrah e 4% p.verdot. O aroma floral e mentolado característico do terroir chileno surge sempre com força. Gosto adocicado e achocolatado. Um corpo médio e equilibrado, com coloração rubi e fios de violeta. Dezoito meses em barricas carvalho francês. Considerado um dos poucos vinhos de garagem do Chile. Ótimo com carnes grelhadas. 85 pts-DCV.
Sanleone
IGT 2005 Produzido pela nova geração do Castello Sonnino, este excepcional vinho veio resgatar um vinhedo abandonado há décadas, por esta família centenária da Toscana (Itália). Levemente frutado, este supertoscano contém 70% merlot, 20% sangiovese e 10% p.verdot. É um vinho para no mínimo 10 anos, mas pode ser bebido já, apesar da presente adstringência, que pode ser amaciada com horas de decantação antes de servir. Na boca um veludo incrível, com harmoniosa acidez, maciez e tostados. Equilíbrio puro e longa persistência. Hoje melhor provar com um delicioso ossobuco. Ultra recomendado! 93 pts-DCV.
Château Belleuve Tayac 2005, Margaux-Bordeaux Uma acidez característica de um bom bordeaux, com álcool equilibrado. Aromas tostados e café. Na boca ameixas e carvalho na medida. Boa concentração e complexidade. Interessante salientar a fermentação em inox da Cabernet e Merlot, e em barricas de carvalho para a petit verdot. Melhorou enormemente após uma hora. Surpreendente evolução na taça! 89 pts-DCV.
Dúvida 2005, Alentejo  Obra-prima de António Saramago! Uma ampola sem "dúvidas" das melhores que provei. Eleito ano passado melhor vinho de Portugal; e não estavam errados. Uma explosão de elegantes sabores. Aromas de geléia e redução de melado. O estágio 12 meses em barricas francesas mais 12 meses em carvalho americano não deixaram dúvidas a Saramago! A história da criação deste vinho daria várias páginas, que faremos em outra ocasião. 95 pts-DCV.
Clos Del Rey 2004, Languedoc Uaww... que exuberância. Jacques Montagné é um pequeno produtor entre os grandes do Languedoc. Tudo é feito manualmente, desde a colheita. Um vinho para ficar na memória pela concentração e profundidade. Equilibrado, austero e elegante. Aromas complexos de frutas negras, minerais e especiarias. Uma persistência de tirar o fôlego. Taninos finos e maduros. Um show de vinho! 96 pts-DCV.
Clarendon Hills, Moritz 2007 (Austrália) A expressão dos clássicos do sul da Austrália, que se torna um dos melhores produtores do mundo. Colheita manual e leveduras naturais, um vinho diferenciado. De extrema personalidade e mostra um terroir próprio. Sente-se esta incrível tipicidade da terra. Rubi com tons violáceos, cheira forte menta e leve pomada Vick [risos]. Excelentes taninos denotam longa guarda. Junto com o Dúvida e Clos del Rey, dominaram a noite! 94 pts-DCV.
politeca
Os editores do DCV agradecem a hospitalidade do Sr. Helio Santos da Politec, ao Marcos Rachelle e Gentil, da Art du Vin pela oportunidade, e à equipe da Vinissimo, Wlamir Rizzo e sua esposa Solange e Arthur Azevedo. Desejamos bons negócios na Capital. Os vinhos da Vinissimo são encontrados na Art du Vin: QI 3, Bl.D, Lj.8 térreo, Lago Sul - 3365-4078 | 8161-0781 | 9557-3120.
2017  Decantando a Vida  globbers joomla templates